quinta-feira, 30 de julho de 2009

Questões Resolvidas - UFRRJ - 2008 - 1° Fase - Multipla Escolha

QUESTÃO 63 – UFRRJ – 2008
A vegetação natural de uma área é a expressão das características do solo, relevo e clima, e das interações entre esses elementos ao longo do tempo.Leia as afirmativas I, II e III, que descrevem os tipos de vegetação do Brasil.

I. É uma floresta densa e intrincada, as plantas crescem muito próximas umas das outras, e é
comum a ocorrência de plantas parasitas. Desenvolve-se em região de clima quente e úmido.
II. Constitui-se basicamente por vegetação arbustiva e herbácea. Desenvolve-se em clima tropical semi-úmido.
III. Predominam as espécies lenhosas e herbáceas, de pequeno porte, geralmente dotadas de espinhos.
Desenvolve-se em área de clima semi-árido.

Assinale a única alternativa que contém todas as formações vegetais descritas:

(A) I. Mata Atlântica, II. Caatinga e III. Mata de Araucária.
(B) I. Pantanal, II. Cerrado e III. Floresta Amazônica.
(C) I. Floresta Amazônica, II. Caatinga e III. Mata de Araucária.
(D) I. Floresta Amazônica, II. Cerrado e III. Caatinga.
(E) I. Mata de Araucária, II. Pantanal e III. Mangue
RESPOSTA CORRETA LETRA (D)


EXPLICAÇÃO:



AMAZÔNIA


Área: 4,2 milhões de quilômetros quadrados (49% do território Nacional)
Característica: a floresta Amazônica e os mais de mil rios da maior bacia hidrográfica do mundo abrigam 48% de todas as espécies animais e vegetais conhecidas.
Preocupações ambiental: a maior ameaça é o desmatamento, resultado da extração ilegal da madeira e do avanço agropecuário.



CAATINGA


Área: 844,4 mil quilômetros quadrados (8% do território nacional)
Característica: do total de 1,2 mil espécies de plantas que ali vivem, 360 são endêmicas. A área abriga, ainda quase 600 espécies de animais.
Preocupações ambiental: A extração de madeiras e o sistema de irrigação inadequados provocam desertificação e salinização do solo.



CERRADO


Área: 2 milhões de Km (q) (24% do território nacional)
Característica: Abriga a mais rica flora tropical do mundo, com 1000 espécies de borboletas e 500 de abelhas e vespas
Preocupações ambiental: A agricultura ocupa 6% do bioma e a pecuária, 60%. As plantações de cana voltada para a produção de bicombustível avançam sobre a cobertura original remanescente.


PANTANAL


Área: 150,3 Km(q) (2% do território brasileiro)
Característica: Na maior área inundável por água doce do planeta proliferam 3,5 mil espécies de plantas e mais de 1,1 mil espécies de peixes , mamíferos , repteis e aves.
Preocupações ambiental: A ocupação das nascentes e as destruição das matas ciliares aumentam a erosão das margens e o assoreamento dos rios. A fauna aquática está ameaça pela poluição por pesticidas e as espécies vegetais endêmicas pelas queimadas e pela introdução de espécies exótica de capim.



MATA ATLÂNTICA


Área: 1,3 milhão (q) (15% do território)
Característica: A mata remanescente, de 91 mil quilômetros (q) (menos de 8% da original), guarda cerca de 20 mil espécies vegetais e quase 2 mil espécies de animais.
Preocupações ambiental: A região está sobre as 34 áreas do planeta que demandam a ação preservacionista urgentes. A maior agressão vem da urbanização.


PAMPAS ou CAMPOS SULINOS


Área: 176,5 mil Km(q) (2% do território nacional)
Característica: É abrigo para 2% de todas as espécies animais e vegetais conhecidas do mundo. São 3 mil tipos de planta, 100 de mamíferos e quase 500 de aves.
Preocupações ambiental: As pastagem e as plantações exaurem e poluem os mananciais, além de provocar erosão e desertificação.



QUESTÃO - 64 - UFRRJ - 2008
Historicamente, o acesso à terra no Brasil se dá de três formas: pela via da doação, forma iniciada ainda
na terceira década do século XVI; pela via da ocupação dos terrenos virgens ou posse; e pela via de compra, o que se verifica a partir de 1850, no bojo da Lei de Terras.
Alves Filho, Ivan. Brasil, 500 anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999. p. 218. Texto adaptado.
A chamada “Lei de Terras”, de 18 de Setembro de 1850,ao proibir, a partir daquele momento, as aquisições de terras devolutas por outro título que não fosse o de compra, acabou proporcionando o seguinte efeito socioespacial:

(A) Legitimou a existência dos latifúndios no Brasil.
(B) Dificultou ainda mais o acesso à terra para os latifundiários.
(C) Facilitou o acesso à terra no País.
(D) Redistribuiu os latifúndios improdutivos existentes no Brasil.
(E) Eliminou a figura do posseiro do espaço rural brasileiro.

RESPOSTA LETRA (A) !!!!!!
Legitimou a existência dos latifúndios no Brasil. Pelo fato que só quem poderiam comprar terras eram os aristocratas , donos de terra que lucravam o a criação de animais ou a agricultura. Pois eram eles os principais acumuladores de lucro que existiam no Brasil.

QUESTÃO – 65 – UFRRJ - 2008
Leia a reportagem abaixo:
Chávez vai atrasar horário da Venezuela em 30 minutos “O presidente venezuelano Hugo Chávez vai
atrasar os relógios do país em 30 minutos para que66 a população tenha uma melhor distribuição do sol durante o dia. Desde que assumiu o governo, o líder de Estado já mudou o nome oficial da Venezuela e fez alterações na bandeira nacional. Segundo a agência Reuters, o novo horário passa a vigorar em setembro e fará com que a Venezuela faça parte de um fuso horário diferente, quatro horas e meia depois em relação à hora de Greenwich (GMT). Atualmente, o país está em fuso quatro horas depois de Greenwich.
O Ministro de Ciência e Tecnologia venezuelano, Hector Navarro, afirmou hoje que a medida vai ajudar
as crianças da periferia, que precisam acordar muito cedo para ir à escola, e que a luminosidade natural
será melhor aproveitada (sic) nas residências, o que deve reduzir os gastos com energia elétrica. Navarro também falou que o governo deve anunciar em breve outras medidas que visam a promover ‘um melhor uso do tempo’.”
Terra / Fábrica Web, 24 de Agosto, 2007. Disponível em: http://
www.diariodanoticia.com.br/noticia.php?id=1792. Acesso em 05/09/07.

A partir das informações apresentadas na notícia acima e por meio da observação do mapa a seguir, pode-se concluir que, em relação ao horário de Brasília, o território venezuelano passará a ter:
OBSERVE O MAPA !


(A) uma hora e meia a mais.
(B) uma hora e meia a menos.
(C) meia hora a mais.
(D) meia hora a menos.
(E) o mesmo horário.

RESPOSTA LETRA (B)

LATITUDE


LONGITUDE


OBSERVE: A longitude no mapa dados pela questão a cada uma 1 hora ... Já que Chaves atrasou 30 minutos então Brasília ficou em 1 hora e meia a menos da Venezuela.




QUESTÃO - 66 – UFRRJ - 2008
“A globalização mata a noção de solidariedade, devolve ao homem a condição primitiva do cada um por si e, como se voltássemos a ser animais da selva, reduz as noções de moralidade pública e particular a
um quase nada”
SANTOS, Milton. Por uma outra Globalização. Rio de Janeiro: Record, 2001, p. 65.

O fragmento de texto acima revela a visão pessimista do autor sobre o processo de globalização. A única
opção que apresenta uma frase que traduz a crítica à globalização contida no trecho apresentado é:

(A) No mundo globalizado, a Ciência passa a produzir aquilo que interessa à humanidade em geral e não
ao mercado.
(B) No processo de globalização, o Estado vem-se tornando cada vez mais forte, mais ágil e mais
presente na defesa dos interesses das populações locais.
(C) No mundo globalizado, prevalece a parceria entre as grandes corporações empresariais e as
empresas de menor porte, ocorrendo, assim, uma tendência de redução da competitividade econômica.
(D) Com a globalização da economia, as empresas privadas vêm priorizando ações de assistência social,
o que beneficia a maior parte da sociedade.
(E) No mundo da competitividade global, ou se é cada vez mais individualista, ou se desaparece.

RESPOSTA CORRETA LETRA (E)

A globalização é um dos processos de aprofundamento da integração econômica, social, cultural, política, com o barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI. É um fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar uma aldeia global que permita maiores mercados para os países centrais (ditos desenvolvidos) cujos mercados internos já estão saturados. O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, ou seja, interliga o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Com isso, gerando a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como conseqüência o aumento acirrado da concorrência.

UM DOS PERIGOS DA GLOBALIZAÇÃO
O perigo da construção de uma sociedade individualista. A relação de competição é tão grande, que fica difícil identificar sociologicamente onde há conflito e competição. Estamos evoluindo para lei da selva. Meu pai falava sobre a lei do MURICI: Cada um cuida de si. Quando era criança não entendia muito o que ele queria dizer com isto, e ainda não sei se entendi plenamente, mas seja o que for estamos vivendo momentos em que as relações humanas não tem valor alguns, a não na base de troca. A pergunta básica é: O que eu vou ganhar com isso? Este individualismo acerbado tem trazido terríveis danos à nossa sociedade. Precisamos resgatar valores como cooperação, amizade, companheirismo, reciprocidade, etc.


67 - Observe os mapas a seguir:
Tipos de clima do Brasil

Fonte: http://www.geografiaparatodos.com.br/img/mapas/climas_do_brasil.gif.
Acesso em: 31/08/2007


Massas de ar que atuam no Brasil

Fonte: LUCCI, Elian Alabi. et alii.Território e sociedade no mundo globalizado:
geografia geral e do Brasil – ensino Médio, volume único. São Paulo:
Saraiva, 2005, p. 529.

Sobre a dinâmica das distintas massas de ar que atuam no território brasileiro e os diferentes tipos de clima que o caracterizam, indique a única opção correta:
(A) O Clima Tropical Típico, característico da região Centro-Oeste, é marcado pela atuação da Massa
Equatorial Continental durante todo o ano, o que concede altíssima umidade a essa região, tanto no
verão como no inverno.
(B) O Clima Equatorial do Norte do Brasil tem como principal característica a sazonalidade das chuvas,
devido à atuação da Massa Tropical Atlântica durante o inverno.
(C) O Clima Subtropical, que marca a Região Sul, apresenta as maiores amplitudes térmicas entre os
climas brasileiros e, apesar de dominado pela Massa Tropical Atlântica, está sujeito à penetração da
Massa Polar Atlântica.
(D) O Clima Tropical Litorâneo, que marca a faixa litorânea do leste do país, caracteriza-se por chuvas
irregularmente distribuídas, já que, no verão, ocorre a penetração da Massa Equatorial Continental e, no
inverno, a Massa Tropical Continental reduz muito a umidade do ar.
(E) O Clima Semi-Árido é dominado pela atuação da Massa Tropical Atlântica durante o ano todo e, por
isso, se caracteriza pela pequena amplitude térmica e elevada pluviosidade.


RESPOSTA CORRETA LETRA (C) !!!

MASSAS DE AR
Bolsões de ar influenciam o clima
Ronaldo Decicino*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação
Massas de ar são grandes bolsões de ar, ventos de escala planetária que se deslocam, por diferença de pressão, pela superfície terrestre, carregando consigo as características de temperatura, pressão e umidade da região em que se originaram. Para que uma massa de ar se forme é necessário que o ar fique estacionado durante algum tempo sobre uma região que tenha uma distribuição uniforme de temperatura, de modo que o ar possa adquirir suas características. A essas regiões damos o nome de regiões de origem das massas de ar.

À medida que se deslocam, as massas de ar sofrem a influência de outras massas de ar, com as quais trocam calor. Ou seja, da mesma forma como interferem nas condições do tempo, as massas vão sendo influenciadas pelas condições dos lugares por onde passam, até que as características do ar no interior da massa se igualem às do ar do exterior. Então, a massa de ar se dissipa.

Geralmente, as características das massas de ar são muito simples: as oceânicas são úmidas - e as continentais, com raras exceções, secas; as tropicais e equatoriais são quentes - enquanto as temperadas e polares são frias.
Classificação
As massas de ar se classificam em três grandes grupos: massas equatoriais, massas tropicais e massas polares.
• Massas Equatoriais: são as massas que se formam nas proximidades do Equador, ou seja, nas áreas de baixas latitudes. São as massas de temperaturas mais elevadas que existem - e apresentam, portanto, baixas pressões em seu interior. A massa equatorial oceânica é, em geral, a massa mais úmida de todas, enquanto a continental, embora muito quente, é um pouco menos úmida.
• Massas Tropicais: são as que se formam nas proximidades de cada um dos trópicos - Câncer e Capricórnio -, geralmente em latitudes subtropicais, tanto no hemisfério norte como no hemisfério sul. São massas muito quentes, com pressões médias e baixas, sendo a de origem oceânica bem mais úmida que a continental.
• Massas Polares: são as massas que se formam nas proximidades dos círculos polares ártico e antártico, sempre em latitudes superiores a 50o. São as massas mais frias que existem e, portanto, são também massas de pressão muito alta. A continental é a mais fria e mais seca de todas, enquanto a marítima, por ser um pouco úmida, não apresenta temperaturas muito baixas.
Massas de ar que atuam no Brasil
O ar atmosférico está sempre em movimento, na forma de massa de ar ou de vento. Se uma massa de ar possui características particulares de temperatura e umidade, torna-se responsável pelo tempo e, portanto, pelo clima de uma área. Dependendo da estação do ano, as massas avançam para o território brasileiro ou dele recuam. Seus avanços ou recuos é que vão determinar o clima.

Quando duas ou mais massas de ar de características diferentes se encontram, elas não se misturam. Forma-se entre elas uma zona de transição, que recebe influências das massas envolvidas e que, por isso, se apresenta como uma zona de instabilidade meteorológica. Essa faixa de ar recebe o nome de frente.

Quando ocorre o encontro de duas massas quentes, forma-se uma frente quente. Quando há o encontro de duas massas frias, ou de uma fria e uma quente, forma-se um frente fria. No caso do Brasil, destaca-se o fato de que o nosso território recebe a influência de cinco grandes massas de ar, conforme quadro abaixo:
Massas Características
Massa Equatorial Atlântica(mEa) Quente e úmida, dominando a parte litorânea da Amazônia e do Nordeste em alguns momentos do ano, tem seu centro de origem no Oceano Atlântico.
Massa Equatorial Continental (mEc) Quente e úmida, com centro de origem na parte ocidental da Amazônia, domina a porção noroeste da Amazônia durante quase todo o ano.
Massa Tropical Atlântica (mTa) Quente e úmida, originária do Oceano Atlântico, nas imediações do trópico de Capricórnio, exerce enorme influência sobre a parte litorânea do Brasil.
Massa Tropical Continental (mTc) Quente e seca, se origina na depressão do Chaco e abrange uma área de atuação muito limitada, permanecendo em sua região de origem durante quase todo o ano.
Massa Polar Atlântica (mPa) Fria e úmida, forma-se nas porções do Oceano Atlântico próximas à Patagônia. Atua mais no inverno, quando entra no Brasil como uma frente fria, provocando chuvas e queda de temperatura.

Observação: embora o território brasileiro sofra a ação de cinco massas de ar, três delas são muito mais atuantes durante todo o ano: a Equatorial Continental, a Tropical Atlântica e a Polar Atlântica.
*Ronaldo Decicino é professor de geografia do ensino fundamental e médio da rede privada.

QUESTÃO - 68 - UFRRJ - 2008
“O capitalismo globalizado tem como principal sustentáculo ideológico o neoliberalismo, que basicamente propõe total liberdade às leis de mercado e mudanças no papel do Estado, limitando a intervenção deste na economia.”
COELHO, M. A. & TERRA, L. Geografia Geral e do Brasil. S.P.: Moderna, 2003.

Faz parte da atual característica do Estado Neoliberal:
(A) ser regulador da economia, normas e regras a fim de impedir a expansão das empresas estrangeiras no seu território.
(B) controlar com rigor a abertura ao mercado externo, ampliando as taxas alfandegárias sobre as importações.
(C) controlar o fluxo do capital internacional no seu território, preservando a economia nacional.
(D) estatizar o setor de bens de produção, buscando garantir uma maior competitividade no cenário mundial.
(E) garantir o equilíbrio na balança de pagamentos e a privatização das empresas estatais, entregando-as a grandes grupos.

RESPOSTA CORRETA LETRA (E)

Bem estamos sempre vendo em telejornais que o Brasil bate recorde de superávit (Em Administração, Superávit pode ser o excedente resultante da execução orçamentária que aferiu mais ganhos do que gastos. Nesse caso o orçamento é chamado de superavitário e o resultado oposto denomina-se "déficit".) Isso é o chamado balança de pagamento na questão !

Sobre as privatizações podemos lembrar da Vale do Rio Doce, na qual foi vendida entre outras empresa como a de telecomunicação !


QUESTÃO - 69 - UFRRJ - 2008
Observe os dados abaixo:



Fonte: ZAKABI, Rosana. Vôo rumo ao atraso. In: Revista Veja. S.P.:
Editora Abril. Edição 2020, nº 31, 8 de agosto, 2007. p. 85.

A partir da interpretação dos dados apresentados na reportagem acima, pode-se concluir que:

(A) a medida dos deslocamentos deve considerar a superfície terrestre percorrida.
(B) os meios de transporte são essenciais para a configuração das noções de tempo e espaço.
(C) os trajetos ficaram maiores e, em conseqüência, o tempo de viagem aumentou.
(D) o tempo de deslocamento está sempre condicionado às distâncias físicas.
(E) as distâncias físicas entre as cidades brasileiras vêm aumentando nos últimos anos.


O avanço dos meios de transporte, como o avião, é uns dos eixos da globalização, ou seja, na melhora das trocas comerciais e também na migração de indivíduos no mundo. E essa tecnologia veio agilizar esse processo durante anos. Contudo, podemos observar nessa questão que está havendo falhas, assim prejudicando a locomoção de pessoas e produtos! Principalmente no Tempo de chegada !




QUESTÃO - 70 - UFRRJ - 2008
“A cada cem mulheres que moram na Região Metropolitana de São Paulo, 55 estão no mercado de
trabalho (empregadas ou à procura de emprego). É o equivalente a 55,1% da População Economicamente Ativa (PEA) feminina. Esta é a maior taxa desde 1985, quando a Fundação Seade iniciou a pesquisa. Em 2002, o índice era de 54,4%.”
REVISTA ÉPOCA. Presença da mulher no mercado de trabalho cresce e bate recorde em SP. Revista Época: Editora Globo, Ed. 470, 21 de Maio, 2007: Disponível em: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/
0,,EDG63018-6012,00.html. Acesso em: 31/08/07.
Tendo em vista que a maior participação das mulheres no mercado de trabalho é um fato inexorável da
realidade brasileira, marque a única opção que apresenta, correta e respectivamente, uma possível
causa socioeconômica e uma conseqüência demográfica direta da inserção feminina nesse mercado.

(A) Desejo de emancipação da mulher – aumento da expectativa de vida feminina.
(B) Necessidade de complementação da renda familiar – redução da taxa de fecundidade.
(C) Aumento da taxa de fecundidade – redução dos índices de mortalidade infantil.
(D) Desemprego do parceiro – aumento da taxa de natalidade.
(E) Redução do número de mulheres chefes de família – queda na taxa de natalidade

RESPOSTA CORRETA LETRA (B) !!!!!

REPORTAGEM !!!
Nas últimas décadas, a participação feminina no mercado de trabalho brasileiro vem crescendo intensamente. Hoje, as mulheres representam mais de 40% da População Economicamente Ativa (PEA). Esse dado expressa a necessidade do trabalho feminino para complementar a renda familiar. Porém, muitos contrastes são relevantes quando se busca entender quantitativamente e qualitativamente como a mulher está inserida no mercado de trabalho. O aumento do número de mulheres na composição da PEA acarreta situações como: (Prefeitura do Município de São Gonçalo – 2007)

Dados do IBGE
http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/pesquisas/fecundidade.html
Fecundidade
• Fecundidade da mulher brasileira
(Nº médio de filhos que uma mulher teria ao final de sua idade reprodutiva)
Em 1970 a mulher brasileira tinha, em média, 5,8 filhos. Trinta anos depois, esta média era de 2,3 filhos.
Confira no gráfico!


Em 2000, com exceção da Região Norte, as demais Regiões apresentaram taxas de fecundidade próximas à taxa média nacional (2,3).
A Região Sudeste apresentou a menor taxa de fecundidade: 2,2 filhos por mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores